7 de junho de 2007

Manhã de feriado. O sol entrava pelo vidro da porta da sala. Isso só podia ser promessa de dias melhores, porque tinha tanto sol entrando no meu corpo naquele momento que meus medos saíram em disparada, migrando para lugares frios. Porém, nem todos se foram... Alguns desceram para os pés. Outros, deslizaram para as pontas dos dedos.

...


- Um abraço! – gritou a mãe da cozinha.
E explicou com um sorriso:
Um abraço e terminamos de botar esses danados pra correr!


(nada como uma mãe especialista em jardinagem de corações
)

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>