3 de junho de 2007

"Imagine a Rua da Existência! Cheia de gente passando de um lado para o outro, cuidando da vida, sempre notando a falta de alguma coisa, perseguindo incansavelmente a satisfação pessoal, apressados, nervosos, desconfiados e quase cegos por estarem condenados a cuidar do milhão e meio de preocupações que alguém fez caber no verbo “existir”! Na algazarra, ninguém nota um sujeito parado, perdido e jogado no meio do enxame, olhando aquele espetáculo, entrando no jogo uma vez ou outra. É quanto se ouve o estrondo de um trovão! Começa a chover. Por toda parte as pessoas correm para não molhar suas vontades, suas ambições, suas mesquinharias, seus gostos, seus planos, seus egos e suas vidas de açúcar. Enquanto todos se escondem, aquele sujeito deixa-se ficar ali parado até que não reste mais ninguém além dele e o som da chuva. Dá um sorriso, olha pra cima, põe as mãos nos bolsos e vai caminhando só para o desconhecido, assobiando

"Rain drops keep falling on my head"..."



escrito por rainwalker, no blog: http://rainwalkers.blogspot.com/


:)

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>