13 de setembro de 2007

Sempre, desde criança, quis ser a borboleta.
Sofri por isso.
Idealizei, fugi, cortei meus dias até sangrar.
Sempre quis suas asas brilhantes, seu jeito delicado, aquelas cores todas!
Eu nunca virei borboleta.

(a diferença é que aprendi amar a lagarta - estranha - que vive no meu jardim)

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>