9 de setembro de 2007


Era uma vez um carneiro que sempre quis ser sozinho.
Mas na verdade queria muito ser junto. Sempre quis.
Mas de tanto falar que queria ser sozinho
ele mesmo acreditou.
Todos acreditaram.
Só que num dia muito cinza
choveu o céu inteirinho.
Choveu as lágrimas do carneiro
As lágrimas da nuvem.
E as lágrimas de quem ouviu essa história...
Choveu todos os rios
Lagos
Lagoas do mundo!
Com sapo e tudo!
E o carneiro ficou sem nenhuma cabaninha naquele mundaréu d'água...
Desde então, a escritora dessa fábula-pós-moderna não sabe se arranja uma cabana para seu carneiro
ou se arranja uma para ela...

Um comentário:

Pedro Pieroni disse...

delicadinho.. gostei!!

abraços.

Pedro

type='text/javascript'/>