15 de agosto de 2016

Através

Você nunca escreveu um poema sobre mim.
É assim que uma poeta descobre quando o amor
Não está
Onde deveria estar?
Você nunca escreveu um poema sobre mim,
Mas aposto que meus fantasmas são velhos conhecidos seus.
À noite
Na sua vigília, eles vagam.
Eu escrevi muitos poemas sobre você.
Quando sua assombração atravessa as paredes do quarto
Pego a caneta
E faço círculos de palavras
Em volta do meu coração.
Feitiços sobre suportar sua ausência,
Sobre fazer poemas sobre você...
Não é meigo
Nem poético
Nem acredito que seja amor.
É sobre sobreviver, apenas.
Você nunca fez um poema,
Talvez tenha medo
Que leia cada entrelinha sua,
Sem saber que já sei tudo.
Você é livro aberto, meu bem.

Eu também.

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>