18 de janeiro de 2010

Sobre a coragem.

Ninguém fala sobre o calvário da coragem.
Despindo-a da aura magnífica, glorificada em livros de aventura, em planos heroicos, na queda sem cordões, na luta diária dos injustiçados, ela também pode ser cinza.
Sem drogas, bebidas, dinheiro, ou remédios. Sem fugas paralelas, nem psicodelismo barato.
Tão difícil quanto provocações no deserto; tão menos recompensada quanto se espera: coragem é para gente grande, independente do tamanho.

Um comentário:

Um ser sendo disse...

Pri.

Procuro a coragem a cada dia.

Em cada canto.

E é tão tão difícil tê-la.

Realmente esse negócio de coragem é pra gente grande.

Obrigada pelas palavras.

Beijo.

Marcela.

type='text/javascript'/>