15 de julho de 2007

eu sei
não sou suficientemente boa pra você
não sei dividir
não sei me comportar
nem disfarçar meu ciúme
não suficientemente boa pra você
não tenho grana
não sei contar piadas
nem desenhar
não visto meias iguais
isso não pode ser amor
ou se for
deve ser um amor todo “atrapaiado”
que tropeça nos próprios pés
eu te amo tanto!
mas não suficentemente boa...
por reconhecer isso, essa tarde,
me abracei nas nossas lembranças
levei-as pra passear
contei histórias
fiz durmir
tão bonitinhas nossas lembranças
tem nosso jeitinho no rosto delas
elas choraram quando contei meus planos mirabolantes de fugir
-“prometo que vai ser indolor, meninas, prometo!”- eu falei. “quando ele perceber já terei cruzado a ponte...”

e no final
vai ser melhor assim:
você sem eu
seu eu sem mim.

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>