6 de julho de 2007

Centro da cidade (minha cidade tão querida, com o sol derretido no seu calor interiorano típico). A sorveteria me atrai como bolo de chocolate a uma mosquinha faminta... Entro no ônibus com um sorvete maior que eu, maior que o calor, maior que meus pensamentos distantes.

-Oi, motorista! Posso entrar com esse sorvete aqui?
- Poder, pode... O errado é não ter trazido pra mim!


s2

Pequenos.Grandes.Momentos.

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>