22 de dezembro de 2016

O parto.

Estou aqui,
Pés cambaleantes,
Diante da novidade.
Agora compreendo sobre corda bamba
Com igual ou mais propriedade que a equilibrista do circo.
Uma reunião (na minha cabeça) entre diversas personas
Convocou o parto:
A menina, com seu urso, chora.
A idosa, tricota roupas para cobrir vergonhas.
A mãe, abre os braços, emocionada.
Nascerá mulher
E todas unem-se para ampará-la no ar.
Agora compreendo sobre corda bamba
Com igual ou mais propriedade que a equilibrista do circo.
Não é sobre leis da física,

É sobre o nascimento da poesia.

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>