11 de junho de 2016

Sobre o ofício

Você é professora. Corrige provas, fala dos alunos, planeja a festa da escola. Tem que explicar isso muitas vezes. Muitas vezes não é compreendida por não frequentar baladas, não dormir tarde, guardar recicláveis para usar nas aulas.
Você estuda sobre translação. Procura livros pré -adolescentes que instiguem sua inteligência - se eu gostar eles também vão - cria as vozes dos personagens. Ama papelarias, escreve cartas (recebe cartas - muitas!).
Sabe interpretar crianças: cara de banheiro, dor, medo ou vontade de passear no pátio?
Quer desistir -passa dias planejando o fim. Quer insistir -passa dias planejando recomeços.
Sabe o nome de cada aluno que alfabetizou. Lembra da professora do primeiro ano - que te alfabetizou.
Tem cinco piadas, três mágicas, duas dobraduras e dezenas de brincadeiras na manga.
Quer vida normal, mas sabe que nunca terá. Sua recompensa flutua silenciosamente sob os olhos mortais: "ela escreveu, ele não desistiu, era tão tímida, aquele menino cresceu..." e você estava lá. Tantos lugares no mundo pra estar, mas você desejou estar lá.

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>