11 de fevereiro de 2012

Sinestesia

Queria escrever das sinfonias que acontecem ao entardecer na árvore 27, bem na esquina. Dos pássaros, traje de gala emplumados, saracoteando para todas as direções. De mim, passando embasbacada com os olhos para cima, tentando entender o mistério das coisas do mundo.

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>