21 de junho de 2009

Asma.

Quero estar junto.
Não além dos mundos obscuros
que são meus.
Quero estar, indiscutivelmente, distante.
Enquanto a linha entre dor e retorno
estiver desenhada nos meus braços.
Se você entendesse...
Se você entendesse essa coisa...
saberia minha vida abraçada na sua.
Há necessidade de espaço
para minha claustrofobia amorosa.

Não é morte.

São asas.

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>