19 de novembro de 2017

Avoante











Quero verbalizar a dor imensurável de ter perdido você, 
Mas não dá. 
Então me afasto, fico puto, sou ríspido contigo, 
Essas coisas de coração partido. 
Em pensamento, estou velando seu sono. 
Abençoando seu caminho, mesmo diferindo do meu. 
Portanto, libertarei suas asas, 
Porque você é a coisa mais linda da vida 
E precisa ir. 
Porque você canta desafinado e doce 
Feito uma pombinha assustada. 
Porque se aninhava em meu peito como se eu pudesse protegê-la de qualquer coisa. 
Não posso. 
O mundo te quebrará em pedaços, pequena, 
Como fez comigo. 
Esse poema é testemunho da partida. 
Quem sabe um dia você pousa na minha janela.

Um comentário:

Prih Machado disse...

https://www.youtube.com/watch?v=focU0mcgZm4

type='text/javascript'/>