2 de dezembro de 2015

Nossas línguas se cruzaram duas semanas sem tocar.
Estive de pés juntos, na beira do seu lago, preste a pular.
Você  me ofereceu seu corpo numa bandeja para desfrutar.
Eu disse "sem alma não quero mergulhar".
As algas cresceram sob a água até turvar.
Você disse: que pena, meu rio cabe em você, por que não  vai ficar?
 - Porque sou MAR.

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>