7 de agosto de 2013

Sua vida caminha sempre em frente. Você trabalha, vai às compras, paga suas contas religiosamente na primeira semana do mês. O que pode estar errado com a pecinha de cima, aquela logo acima do pescoço, que insiste em localizar espaços na existência? – Nova receita de antidepressivos - indica a primeira. - Produza serotonina - diz outra voz. Mas o que pensa você mesmo sobre você? 
 Não acho que estou doente de cura. Estou doente de amor, amor-próprio, amor do outro, amor de todos os tamanhos para transbordar o mim que insiste em doer. Acho que meu caso é falta de excesso de transbordação na vida.

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>