31 de maio de 2013

Lusco-fusco

Meu amor, 
Foi o primeiro  lugar onde pousei minhas esperanças, 
Meu sentimento mais puro de devoção. 
Não consegui recolher meus defeitos a tempo 
De encostar nos seus 
Mesmo sendo tantas as qualidades em mim que almejavam enfeitar sua alma.
Vejo seus pés indo embora 
Em passos firmes 
Enquanto fico desajeitada, imatura e triste 
Porque sempre me falta um pedaço 
Quando as ondas rebentam lágrimas de sal. 
Meu amor, guardarei seu gosto em mim 
E seus olhinhos etéreos. 
As lições sobre coragem 
Naquela carta de próprio punho que poucos saberiam talhar. 
Recolho-me sem despedidas, 
Pois já vislumbro o ancestral vazio 
Das noites escuras deitando sobre mim. 
Crescem montanhas onde você derramou flor 
E o sentimento vai desfalecendo nos meus braços. 
Ser princípio não te faz o derradeiro, 
Mas marca seu rosto eternamente no meu coração. 
Então, posso gastar uma ou duas lágrimas contigo. 
Não posso?

Um comentário:

Alice disse...

aaah Pri, que lindo!!! ♥

type='text/javascript'/>