8 de outubro de 2009

Toda tarde toda

Quando me perguntam como estou
já não abro despudoramente as janelas.
Explicar minhas voltas é em vão.
Devido à insistência, eu peco.
Invento romances, proposta de casório e a esperança de muitos muitos filhos,
(ou prometo perder vida em trabalho aborrecido).

Tenho curva,
perdoem as linhas retas.

Existem poucos mortais interessantes
para dialogar nas tardes vazias.
E também nas tardes cheias.

2 comentários:

artificio_al disse...

Hmm, Bonito texto Pri , as vezes eu viajo em muitas das coisas na qual eu queria que fosse EXATAMENTE aquela resposta.

Beijos =)

Thami disse...

Mas acho que essas algumas poucas pessoas interessantes são capazes de encher tardes e tardes e tardes... não?

E, bom, ainda há os muitos imortais com quem podemos preencher vazios. E preencher 'Toda tarde toda', quem sabe?

um beijo, Prih!

type='text/javascript'/>