30 de março de 2008

Jogos para montar depois da meia-noite.

A manhã que nasce hoje
Tenta me enganar
Vestida como a manhã de ontem.
Essa tarde que virá
(Eu sei)
Virá como aquela de ontem.
Mas não é.
Toda noite que escurece todo dia
Nunca foi 'mesma noite que escurece todo dia'.
Apesar da recorrente Lua

e da invariável solidão...
A Cinzenta cada vez mais está em mim
Desmanchando
Refazendo
Ela vai ser o quintal dos meus filhotes.

26 de março de 2008







(clique na tirinha para aumentar!)
- Godofredo... Sinto, novamente, o gostinho de solidão na boca.
- Espera, minha pequena. Preenche cada espaço com algo que valha.
- E se não existir ninguém?
- Ninguém?
- É. Ninguém bom o suficiente para preencher esse vazio sem fim?
- Você inventa outro amigo imaginário, também ando me sentindo um tanto só...

16 de março de 2008

Silêncio.

8 de março de 2008


Compra-se cheiro de chuva
Pedacinhos do fim de semana
Sua cara zangada
(Ou de quem não está entendendo)
Compra-se tudo aquilo que não está à venda
Música sussurrada
Cheiro de feijão novo
Suas mãos enroladas na minha cintura
Declarações amorosas sem ser
no terrível engarrafamento da cidade cinza
Compra-se criança barulhenta
Um dia inteiro só pra fazer arte
Você naquela camisa verde
(Amassada nos lugares certos)
Sorriso de pai
Perfume de mãe
Dias raros com família junta
Sua apresentação no final de ano
Da escola
Você esquecendo a fala e olhando pra mim...

Compra-se tudo que essa merda de dinheiro nunca vai comprar.
E o mundo só é bom porque elas não estão à venda.



4 de março de 2008



Ninar crianças...

nenhuma faculdade ensina.
Ela esconde entre os dedos um pedaço do céu.
Então
É assim
Corre, pequena garotinha
Guarda todas as estrelas e nuvens
Tempestades e dias de sol
Debaixo das unhas
Cravadas nas próprias mãos
- Ela enfia as unhas nas mãos.
Sangra pequena garotinha
Porque ninguém espera
O tempo não espera
As vozes
Toda a cobrança
Cairá sobre você
Pesada feito todas suas bonecas juntas.
Pisoteando seus caminhos
Apagando seus códigos secretos
nas paredes.
A cobrança virá
E o tempo de espera
Acabou quando você nasceu.
type='text/javascript'/>