26 de março de 2008

- Godofredo... Sinto, novamente, o gostinho de solidão na boca.
- Espera, minha pequena. Preenche cada espaço com algo que valha.
- E se não existir ninguém?
- Ninguém?
- É. Ninguém bom o suficiente para preencher esse vazio sem fim?
- Você inventa outro amigo imaginário, também ando me sentindo um tanto só...

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>