19 de agosto de 2008

Tem dias tristes, bem vagarosos de levantar, quando as vezes acordo faltando 5 minutos para o outro dia. Sempre atrasada.

Tem dias bons. Dançar na rua não parece tão avesso do avesso. Mp3 não tem a magia do vinil, mas é portátil.

Tem dias amorosos de doer! Pombos e cachorros dançam sincronizado num musical hollywoodiano.

Tem dias sozinhos. Telefones são muito modernos, bases alienígenas! Deitada, vegetando(ando), enquanto a vida vai dar uma volta.

Tem, no meio, tanta criança que parece orfanato, mas também parece céu. Tem piolhos e cócegas insuportáveis.

Porque o mundo é feio e bonito.

E sou alguma coisa assim: entre Deusa e pó.

Um comentário:

Alice disse...

Será que vc me permite "roubar" seu poema sobre quebrar ciclos pra publicar no meu blog?
Adorei ele!!

type='text/javascript'/>