7 de setembro de 2010

Sobre ele

Se você voltar a tempo
nós vamos sair pela cidade escura.
Vou contar os prédios novos e abrir metade do vidro para
não desmanchar nosso amor.
Se você voltar, vou separar
o dinheiro exato da felicidade,
pedir duas taças de sorvete derretido
e você vai ficar derretido comigo.
Gosto quando atende o celular no caminho de casa
porque sei que tem um fio invisível
trazendo você pra mim.
Você odeia celular, eu amo.
E quando te perco para o trânsito,
brinco de te maldizer, sem culpa.
Querido pai, espero feito cachorro na porta
até seu carro encostar.
Tenho saudades em cada brechinha
de distância real ou imaginária.

Você é meu melhor amigo.

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>