18 de outubro de 2008

Têm estranhos que trago comigo.
Não deixo que me escolham...
Sei bem quem eu quero.
Construo fortes
E castelos
Traço enigmas em papéis invisíveis
que não sei responder.
Meu ciúme só não é maior que meu amor.
Tenho atos de devoção
com indiferenças profundas.
Tenho distâncias insuperáveis
com uma proximidade amorosa.


E estou sempre só.
Antes que me esqueça desse detalhe importante.

Nenhum comentário:

type='text/javascript'/>