19 de maio de 2014

Hoje eu voltei do meu trabalho de ônibus às 17:26. Essa frase possui pelo menos dois privilégios: o primeiro é que eu tenho um lugar nesse mundão inteiro para onde voltar. O segundo é o pôr do sol das 17:26 (com visão panorâmica da janela): deslumbrante.

13 de maio de 2014

Muitos pensamentos perturbam minha paz, escrever é uma maneira de gritar; como o afogado buscando ar e o doente a cura eu busco sobreviver mais um dia em cada linha que transborda em mim, porque preciso devolver, constantemente, meu rio para sua missão de oceano.

8 de maio de 2014

Quando acho que cheguei ao fim, alguém me abre novos começos. Esse eterno aprendizado eu chamo de Deus.
type='text/javascript'/>