30 de dezembro de 2013

Tenho um medo terrível desses ‘senãos’ que chovem nos meus feriados 
Aliado a uma vontade imensa de cair pra dentro do seu mundo. 

- Se o homem de lata vislumbrasse o problemão que é, pediria outra coisa!

29 de dezembro de 2013

Fugitivos

Meu Amor, te matar está sendo difícil! 
Você não fica quieto! 
Fica por aí inventando as pessoas 
E isso está matando nós dois. 
Pensa que não enxergam seus olhos esperançosos diante da podridão?
Há muito fomos descobertos... 
Por isso, logo estarão aqui, com foices, machados e tochas 
Para subjugar o que restou. 
Preciso matar você 
Porque não existe tempo. 
Não se desespere, 
ainda posso defender algumas sementes.
Então, para de arder escandalosamente essa pureza toda
Que a vizinhança já acordou.

18 de dezembro de 2013

Sobre o medo de aniversários

Sobre ter 27 e não saber ter 28 
É um abismo entre duas estações  
É quando você se acostuma a ser número ímpar 
Na vida. 
Uma idade que contém o infinito é muito para caber na sua pequenez. 
Esse eterno afrouxar dos moldes 
É para gente pequena 
- que sonha em ser eterna.

3 de dezembro de 2013

Constatações poéticas

A poeira sobre os móveis do meu quarto dava para fazer outro planeta.
type='text/javascript'/>